sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

São Valentim na Biblioteca da Básica N.º1

O Dia de São Valentim foi assinalado na Escola Básica N.º1 com muita alegria e muito afeto.
Nesta caixa foram colocadas cartas e mensagens para as pessoas especiais que há na nossa vida e muito particularmente na escola.



A nossa linda caixa, colocada na Biblioteca, encheu-se de mensagens para os amigos especiais e serviu, assim, para todos celebrarmos a amizade, o carinho e o afeto que tornam os nossos dias especiais e nos ajudam a ser pessoas melhores. Foi um dia importante para reforçar os laços que nos unem a todos os que partilhamos o nosso dia a dia na escola.
Obrigada, Laura, pela sugestão, e muito obrigada, Steve Potter, pela linda caixa postal! 😄

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Caderno do Desassossego - Recomeçar


Recomeçar
Recomeço. Algo que na verdade devia ser mais praticado. Não importa onde paraste, em que momento da vida te cansaste, o que realmente importa é que é e sempre será possível recomeçar.
Recomeçar é darmos a nós mesmos uma nova chance. É renovar as esperanças e acreditar. É limpar a alma, é perdoar.
Recomeçar é saber abrir as portas que fechaste, é encontrar prazer nas coisas simples e sonhar alto. É pensar em grande e receber grandes coisas. Recomeçar é jogar fora tudo aquilo que nos prende ao passado.
É queimar todas as cartas e jogar com um novo baralho. É esvaziar o coração e tornar-se pronto para a vida e para todo o bem que ela nos reserva. É sermos apaixonados, não só pelos outros, mas por nós de igual forma.
É desejar e querer sentir o sabor da vida.
É aquecer corações gelados e congelar memórias devastadoras. Recomeçar é amar, porque afinal de conta, nós somos o amor.
                                  
Lara Lopes, 10ºE, nº16
Curso de Línguas e Humanidades

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Dia da Internet Mais Segura

Hoje, dia 5 de fevereiro, assinala-se, em vários países do mundo e também em Portugal, o Dia da Internet Mais Segura.

Uma das questões que se colocam hoje em dia é o tempo que passamos online, utilizando todo o tipo de dispositivos móveis. Por isso, temos um questionário para ti. Responde às questões e descobre qual o impacto das tecnologias no teu dia a dia.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Cartas a Yusra Mardini

No âmbito do projeto "Jogos Olímpicos e Paralímpicos" que as turmas de 5.º ano estão a desenvolver com os respetivos professores, os alunos descobriram a história de Yusra Mardini, a nadadora que integrou, juntamente com outros atletas de diversas origens, a Equipa Olímpica de Refugiados que participou nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016) sob a bandeira da ONU.
A história de coragem desta jovem refugiada de origem síria e da sua família impressionou os nossos alunos, de tal modo que decidiram escrever-lhe cartas onde lhe colocam algumas perguntas e lhe dizem o que sentiram ao ler a sua história.
Essas cartas encontram-se expostas na Biblioteca da EB N.º1. Quem sabe se não as enviamos? E se a Yusra nos responde? Seria bem fixe, não? 😤















quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Caderno do Desassossego - Janeiro




Recomeçar
  Recomeçar é voltar a começar algo que estava mal ou menos bem e tentar fazer com que fique bem, ou pelo menos melhor.
  Podemos recomeçar a escrever ou ler um livro, recomeçar um trabalho, uma apresentação, recomeçar a a ouvir uma música, fazer um fato novo, roupa, recomeçar a ver um filme…
Basicamente, podemos recomeçar qualquer ação começada por nós ou por outra pessoa.
 Podemos até recomeçar uma vida. Se uma pessoa não se sente bem no seu modo de vida, pode sempre recomeçar uma nova vida noutro lugar, com outro emprego, outra casa. Claro que ao recomeçar uma vida não conseguimos rejuvenescer ou voltar a nascer, é impossível, e é por isso que devemos aproveitá-la.



Rafael Serrão, 10º A, nº 22

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Feliz Ano Novo


Votos de um ano muito feliz e com muitas leituras. 😊


 
A Biblioteca tem sempre um
cantinho à tua espera!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

E o que aconteceu à viúva?


No conto "A Viúva e o Papagaio", de Virginia Woolf, obra lida pelos alunos de 5.º Ano neste período, a Senhora Gage recebe uma enorme fortuna. Mas... o que terá feito com tanto dinheiro?

Esta foi a questão colocada aos alunos. Eis alguns textos.  






A senhora Gage e o marido

A senhora Gage foi viajar para Cabo Verde e ficou lá algum tempo.
Encontrou um amigo cabo-verdiano que se chamava Luís.
Quando ela voltou para a sua terra, o Luís ligou a dizer que estava na terra dela e se ela queria ir beber um café.
Ela foi ao café e, quando chegou, estavam vários cartazes a dizer se ela queria namorar com ele.
− Sim, claro que quero namorar e casar contigo.
−  Ainda bem! Também queria e agora vim trabalhar para aqui.
−  Queres ir para a minha casa?
− Sim.
Passado algum tempo, já tinham o casamento marcado. Foi muito bonito e elegante e gastaram muito dinheiro.
Também construíram uma casa nova e moderna para viverem os dois.
E assim ficaram muito felizes e contentes. Casados.

Beatriz Oliveira, 5.º D


A Viúva afortunada

Quando a Viúva encontrou as moedas de ouro pensou:
- O que é que vou fazer com as moedas?
Decidiu que ia investir um pouco na casa e comprar um gatinho, pois ela adorava animais e ainda lhe sobrava dinheiro.
- Não sei o que hei de fazer… Já comprei algumas coisas, mas não sei se devo poupar ou comprar mais alguma! - pensou a viúva.
Depois de muito pensar, decidiu que ia poupar e aproveitar o que restava, pois já tinha pouco dinheiro. Mas uma desgraça aconteceu. Esqueceu-se que tinha de pagar ao filho do reverendo Samuel Tallboys e não tinha dinheiro para pagar a dívida.
- Não tenho opção: tenho que vender o gatinho para pagar a dívida.
Depois de muitas despedidas, vendeu o gato e conseguiu pagar a dívida. 

Afonso Grade, 5.ºD



A VIÚVA E O SEU DINHEIRO

Certo dia, a Senhora Gage havia encontrado o seu dinheiro. Queria gastá-lo, mas no quê? A Viúva comprou: uma casa, sapatos, roupa e comprou até outro papagaio, apesar de já ter o James.
Um dia, a Senhora Gage disse:
− Vou viajar, vou a Londres. Gostarei de ver os meus familiares!                Ela chegou a ir a Londres, mas quando lá chegou avisaram-na que todos os seus familiares já tinham morrido. A Viúva ficou super desapontada. Afinal, gastou o dinheiro para nada, quase ficou pobre sem motivo. A Viúva pensou que poderia ir passear, mas estava tudo fechado, pois era feriado.
Ela logo resmungou:
−  Está a correr tudo mal!!!
Contudo, encontrou o seu verdadeiro amor. Foram-se conhecendo e viveram felizes para sempre.

Joana Candeias, 5.ºD




A Senhora Gage e a sua riqueza

A Senhora Gage, sem saber o que fazer, suspirava para o papagaio:
 O que é que vou fazer com tanto dinheiro, James?
E o papagaio respondia:
 Não está ninguém em casa! Não está ninguém em casa!
De repente, alguém bate à porta e a Senhora Gage vai abrir, mas sem ter ideia de quem era. Quando abre a porta, viu uma criança magra, mal vestida e com um olhar triste. A Senhora Gage, preocupada, pergunta:
 O que se passa, meu querido?
E o pobre menino respondeu:
 Eu e os meus cinco irmãos vivemos aqui nas ruas e vínhamos perguntar se...
A Senhora Gage faz com que a situação ganhe suspense e, de repente, grita:
 Que venham os papéis da adoção!
E assim adotou os meninos, a sua maior riqueza, e viveram muitas aventuras!

Matilde Domingos, 5.ºE




Uma enorme fortuna

Após ter encontrado a enorme fortuna do seu falecido irmão, a senhora Gage não sabia o que fazer com tanto dinheiro e então telefonou do telefone público para uma amiga e disse:
− Olha, imagina que tinhas 3 mil libras esterlinas. O que fazias com ele?
− Eu, se fosse a ti, comprava uma mansão e um carro.
− Obrigada. E adeus!
Estava quase a fazer o que a sua amiga lhe tinha aconselhado, mas depois pensou que podia comprar uma casinha não muito grande, para ela e para os seus animais. E o resto guardava para não gastar tudo de uma vez.
Dito e feito: comprou uma casinha e ainda comprou brinquedos e comida para os seus animais.

E foi assim que a senhora Gage gastou a fortuna.

Ângela Chainho, 5.ºE